Vá, mãe, não te mexas, Se queres ficar bonita...


Vá, mãe, não te mexas

Se queres ficar bonita

Vou-te fazer uma trança

E a ver se não desmancha

Amarro-ta com esta fita

Do cetim que sobrou do meu vestido

Aquele que me esconde os pés

Por ser rodado e comprido...Vá, mãe, fica quieta

Vou-te fazer uma trança

Do mais bonito entrançado

Tens o cabelo macio

Cheira bem, é perfumado

Como as flores à beira-rio

E como as ervas do prado

Quando passa o vento frio...Vá, mãe, não te estejas a queixar

Pareces uma criança

Vou-te fazer uma trança

E vais ser a mais bonita

De todas as mães do mundo

Amarro-ta com esta fita

De cetim da cor do céu

Que nos meus olhos reluz

E também do mar profundo

Que nos teus olhos nasceu

Quando me deste à luz.

Texto de Elisabete Bárbara #ladoalado

Ilustração de Pascal Campion