O super alimento que todas as grávidas deviam comer

05/05/2022

[Tema 'Alimentação'] A gravidez é um dos períodos da vida de qualquer mulher onde os conselhos sobre os alimentos que se devem privilegiar ou evitar se multiplicam. Muitas vezes, apesar de bem intencionadas, essas recomendações não passam de mitos. Porém, existem necessidades nutricionais incontornáveis, como a necessidade de aumentar o consumo de ácido fólico, ferro, cálcio, zinco, ómega-3, vitaminas A e B12. As dúvidas surgem em relação aos alimentos que fornecem cada um destes nutrientes.  Saiba que, muitas vezes, os encontra em alimentos muito comuns, como é o caso do grão de bico.

Durante a gestação, esta leguminosa não é menos do que um super alimento. É rica vitaminas do complexo B, principalmente em ácido fólico, excelente para as mulheres grávidas que geralmente precisam de reforçar a sua disponibilidade através de suplementação. Entre outros benefícios este ácido protege a placenta e evita diversas doenças fetais.

O consumo de grão contribui para baixar o mau colesterol e ajuda no bom funcionamento cardiovascular devido à forte presença de nutrientes como o magnésio e o potássio. O zinco e o cobre presentes na sua composição são responsáveis por prevenir a osteoporose e fortalecer a estrutura óssea, beneficia a cicatrização e combate o envelhecimento precoce. Possui ainda um efeito detox e combate a anemia, por ser rico em ferro.

O grão é um alimento muito rico nutricionalmente e com inúmeros benefícios para a saúde, esteja ou não, grávida. A nutricionista Catarina Santos Domingues afirma que "o consumo deve ser regular devido a diversos fatores: tem um baixo valor calórico e um elevado teor em fibra. Para quem está em processo de perda de peso é realmente benéfico". "É rico em minerais, nomeadamente ferro, magnésio, potássio, zinco, entre outros e em compostos fenólicos, oligossacáridos e inibidores enzimáticos que podem ter um papel importante na prevenção de doenças crónicas", acrescenta.

Quando consumido com regularidade é bom para combater o envelhecimento: "na sua composição também apresenta carotenoides como β-carotenos, luteína, xantinas e licopenos," substâncias que quando consumidas em quantidades adequadas ajudam a atrasar o processo de degeneração celular. Apesar de a proteína do grão não ser completa, "ao ser combinada com cereais, como o arroz, o seu aproveitamento pelo organismo aumenta" o que o torna um alimento interessante para quem quer reduzir o consumo de proteína animal, explica a especialista em nutrição.

Segundo Catarina Domingues é "recomendada a ingestão de uma a duas porções de leguminosas por dia, sendo que uma porção corresponde a uma colher de sopa quando secas cruas - que corresponde a 25 gramas - ou a três colheres de sopa se forem cozinhadas, o que equivale a 80 gramas."

FONTE: nit.pt