Starbucks assume compromisso por um futuro resource-positive: dar ao planeta mais recursos do que os que consome

21-01-2020

Numa carta pública a todos os stakeholders da empresa, o CEO Kevin Johnson estabelece objetivos baseados em estudos científicos para 2030 relacionados com carbono, água e resíduos, como parte de um desafio que a marca pretende enfrentar nas próximas décadas.

O anúncio inclui uma estratégia completa para reduzir a pegada ambiental em emissões de carbono, utilização de água e resíduos nas operações da Starbucks e na sua supply chain a nível mundial. Estas são as cinco estratégias principais nas quais a empresa irá estar focada:

  1. Expandir as opções plant-based (ingredientes sem origem animal), dando abertura para um menu mais amigo do ambiente;
  2. Trocar as embalagens de utilização única por embalagens reutilizáveis;
  3. Investir em práticas agrícolas inovadoras e regeneradoras, assim como em reflorestação, conservação da floresta e reabastecimento de água na supply-chain;
  4. Investir em melhores formas de gerir os resíduos, tanto nas lojas como nas comunidades, para garantir mais reutilização, reciclagem e fim do desperdício alimentar;
  5. Inovar para desenvolver lojas mais amigas do ambiente assim como operações, produção e entregas ao domicílio mais sustentáveis.

Johnson assinalou também os três principais objetivos para 2030:

  1. Redução de 50% nas emissões de carbono nas operações diretas e na supply chain;
  2. Conservação ou reposição de 50% da água utilizada para operações diretas e produção de café nas comunidades com elevados riscos hídricos;
  3. Redução de 50% dos resíduos gerados nas lojas e na supply chain, através de um plano mais abrangente de economia circular. Para reforçar esse compromisso, a Starbucks aderiu à iniciativa New Plastics Economy, da Ellen MacArthur Foundation, que marca uma ambiciosa nova vida para as suas embalagens.

Mais informações sobre o compromisso ambiental da Starbucks: visite Starbucks Stories