“ONE – o mar como nunca o sentiu”

12-01-2020

  • "ONE - o mar como nunca o sentiu" é uma homenagem ao oceano, através de uma instalação artística que proporciona uma experiência imersiva e única
  • Obra vive de imagens realizadas exclusivamente no mar de Portugal, desde os Açores, Algarve, Costa Alentejana, Cascais, Sintra, Nazaré e Aveiro
  • Dois anos de produção incluindo oito meses de filmagens 

O mar sentido através de uma experiência imersiva, é o objetivo do Oceanário de Lisboa com a nova obra exclusiva que abre ao público, no dia 12 de janeiro, no Átrio. Esta instalação artística retrata a ligação profunda do Homem com o mar e invoca a grandiosidade do oceano.

Para João Falcato, Administrador do Oceanário de Lisboa, «Pretendemos, com esta obra, inspirar orgulho pelos magníficos seres que habitam o oceano, em Portugal. Expor uma obra de arte única, digna de qualquer grande museu internacional, é inesperado e irá surpreender quem nos visitar. Esperamos proporcionar uma experiência inédita e incutir um sentimento de admiração e responsabilidade pela preservação deste mundo subaquático magnífico.»

O desafio foi apresentado à cineasta e fotógrafa, Maya de Almeida Araújo. Especialista em fotografia subaquática em movimento, há duas décadas que se dedica a trabalhar o elemento humano integrado no elemento água. Residente em Londres, a artista já expos em diversos países e o seu trabalho está presente em diversas coleções públicas e privadas. Expõe pela primeira vez em Portugal.

«Esta é uma viagem introspetiva. Estamos ligados ao oceano de forma física, cognitiva e emocional porque somos manifestações da própria vida e essa sabedoria vive dentro de nós. No oceano somos um.» refere a autora.

"ONE" é uma instalação de arte que enaltece a união entre o ser humano e o mar, com imagens reais captadas em Portugal, criando um ambiente mágico, etéreo e arrebatador. Um novo motivo para (re)visitar o Oceanário de Lisboa.

"No Oceano somos Um"

No átrio do Oceanário de Lisboa surge uma experiência única e inovadora.

"Sempre diferente", o Oceanário de Lisboa surpreende quem o visita ao apresentar uma instalação artística que proporciona uma experiência imersiva e emocional.

A beleza dos seres que habitam o oceano de Portugal pode agora ser sentida por todos de uma forma diferente e inesperada.

Ao entrar na instalação "ONE, o mar como nunca o sentiu", o visitante pode viver um momento de introspeção e de harmonia, criando uma relação intima e pessoal com o oceano. Após esta experiência, o visitante irá viver o aquário com outra consciência e sensibilidade.

A criação exclusiva da obra "ONE" responde ao desafio proposto pelo Oceanário à artista Maya - inspirar o respeito pelo oceano e pela responsabilidade que cada um tem na sua conservação, proporcionar uma experiência emocional através da combinação entre arte e tecnologia e partilhar a imensa e única biodiversidade do mar de Portugal que, para a grande maioria das pessoas, é desconhecida.

VISÃO DA ARTISTA

É uma viagem introspetiva.

Presta homenagem ao oceano e a todos os indivíduos corajosos que vivem num estado de verdade.

Todos aqueles que, tal como o oceano, vivem em equilíbrio com a sua verdadeira natureza e, por esse motivo, estão em harmonia com o mar. Veem aquilo que nos une em vez do que nos separa. Rendem-se aos mistérios da vida. Eles são "ONE" só com o oceano e consigo próprios.

Nesta peça, o mar representa um estado humano primordial, uma condição fluida "original" a partir da qual outros elementos surgem, permanecendo potencialmente abertos, por manifestar e por determinar. Tem o poder de dissolver, purificar e regenerar, ao transformar cada fim num novo começo. Contém todas as possibilidades.

Esta peça pretende suscitar emoções e estados de espírito no visitante através de um simbolismo poderoso no reino da experiência imaginativa, que torna difusos os limites entre o real e o irreal.

Estamos ligados ao oceano de forma física, cognitiva e emocional porque somos manifestações da própria vida e essa sabedoria vive dentro de nós.

Numa nação oceânica como Portugal, com a sua geografia única, esta ligação tem raízes ainda mais profundas. A magnitude da sua presença apenas é equiparável à imprevisibilidade da sua natureza. É uma verdadeira marca da identidade nacional.

Ao decidir qual seria a melhor forma de representar o "Mar de Portugal" tentei não me limitar a objetificar esta ligação e, em vez disso, transmitir uma mensagem mais vasta com um potencial de transformação.

Uma mensagem sobre a importância da preservação deste recurso vital, mas, acima de tudo, sobre aquilo que tem de mudar dentro de nós mesmos para que essa meta se torne uma realidade. Uma versão idealizada do tipo de pessoas que poderíamos ser.

MAKING-OF

"ONE" é a viagem de um herói, e esse herói é o oceano.

- Todas as imagens foram realizadas em território marítimo português, entre Portugal Continental (Algarve, Costa Alentejana, Cascais, Sintra, Nazaré e Aveiro) e Açores;

- Dois anos para execução da obra, incluindo oito meses de filmagens;

- 11 equipas de filmagens diferentes (incluindo equipas de drones);

- 42 participantes, desde pescadores, artistas plásticos, surfistas e profissionais de mergulho livre;

- Imagens subaquáticas realizadas maioritariamente em apneia, exceto nos mergulhos com tubarões e mantas;

- 6 embarcações (1 catamarã, 1 barco de pesca, 2 semirrígidos, 1 caiaque e 1 submarino);

- Projeto exclusivo para o Oceanário de Lisboa. Arquitetura, iluminação, design de som, tecnologia e ecrãs produzidos à medida;

- Pós-produção com recurso a Inteligência Artificial com o objetivo de se desacelerar movimentos que de outra forma seria impossível.

Horário Verão

Abertura - 10h

Última entrada - 19h

Encerramento - 20h

Horário Inverno

Abertura - 10h

Última entrada - 18h

Encerramento - 19h

INFORMAÇÕES ÚTEIS

O bilhete único do Oceanário de Lisboa permite a visita a todas as exposições. A entrada é gratuita para crianças até aos 3 anos.

Sobre a artista

Maya de Almeida Araújo é cineasta e fotógrafa, especializada em fotografia subaquática em movimento. Licenciada em Biologia pela Imperial College, tem mestrado em fotografia e duas décadas de experiência a captar movimento em ambientes aquáticos. As suas imagens são o resultado de um verdadeiro sentimento de admiração pela energia do mundo natural, onde as possibilidades criativas são ilimitadas.

m-aya.com