NEUROPAL: Novo jogo digital para as crianças aprenderem a prevenir lesões na medula espinhal - 16 de outubro

14/10/2022

NEUROPAL é um novo jogo digital que vai ensinar as crianças a agir com segurança e a prevenir acidentes que podem causar lesões na medula espinhal, uma das principais causas de paralisia. Dia 16 de outubro assinala-se o Dia Mundial da Coluna e este jogo é uma forma lúdica de alertar para este tema.    

Todos os anos entre 250 000 a 500 000 pessoas sofrem lesões na medula espinhal em todo o mundo principalmente devido a acidentes evitáveis e muitas ficam com paralisia para o resto da vida. Com o objetivo de prevenir acidentes comuns que podem causar lesões na medula espinhal Leonor Saúde, investigadora principal do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM) e Joana Barros, coordenadora da Associação Viver a Ciência criaram o Neuropal, um jogo de ação digital educativo que ensina as crianças (6-11 anos) sobre o sistema nervoso central e sobre comportamentos seguros que podem ajudar a prevenir acidentes. O Neuropal, financiado pela Fundação "la Caixa" e pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, foi apresentado ontem, dia 10 de outubro, no festival internacional de ciência FIC.A*, em Oeiras, ficando disponível para download gratuito no site oficial e nas app stores.

Vários grupos de investigação em todo o mundo estão a estuda formas de melhorar a capacidade de regeneração da medula espinhal. Apesar de muitos avanços já alcançados, sobretudo na melhoria da qualidade de vida do doente paraplégico, ainda não é possível regenerar os tecidos lesionados "Embora estejamos cada vez mais perto de encontrar uma maneira de regenerar o tecido nervoso, ainda não conseguimos fazê-lo. Foi por esta razão que tivemos a ideia de criar o Neuropal. Juntámos uma equipa multidisciplinar de estudantes e profissionais de diferentes áreas como as ciências biológicas, a comunicação de ciência, a programação de computadores, o design de jogos e as artes audiovisuais, para criar um jogo com um universo imaginário rico e animado, que possibilita ensinar crianças entre os 6 e 11 anos a prevenir acidentes comuns e a compreender a importância fisiológica de o fazer", diz Leonor Saúde, investigadora principal do iMM.

"O jogo leva-nos numa aventura por uma ilha tropical com dois amigos, o Neuropal e o Neuro, que se separam quando um evento inesperado força todos a escapar. O Neuropal tem de encontrar o seu amigo e deixar a ilha em segurança. Durante o caminho, é desafiado por situações de risco em que terá de adotar comportamentos seguros, evitando lesões em si mesmo e nos outros", explica Joana Barros, co-criadora do jogo e coordenadora da Associação Viver a Ciência.

Os desafios concentram-se principalmente em acidentes comuns evitáveis que podem levar a lesões na medula espinhal, que deixam 250.000 - 500.000 pessoas todos os anos com deficiências físicas graves.

"Para avançar ao longo dos seis níveis do jogo e chegar ao final, os jogadores vão ter de limpar pisos molhados, conduzir uma scooter e um carro com segurança, usar equipamentos de proteção apropriados num estaleiro, barco e caverna, assim como prestar atenção a instruções de rádio, respeitar sinalizações de alerta e resistir à tentação de usar atalhos inseguros", continua Joana Barros. "O jogo inclui módulos sobre o sistema nervoso para estabelecer uma relação clara entre a anatomia e a função das suas diferentes partes. Desta forma, o Neuropal ensina não só comportamentos de segurança, mas também a importância de adotar esses comportamentos no dia-a-dia para proteger o nosso sistema nervoso central", acrescenta Leonor Saúde.

*O Neuropal foi apresentado oficialmente no festival de ciência FIC.A em Oeiras, no dia 10 de outubro às 14h40 (Espaço Hub-ACT em Porto Salvo, sala Cinema), e estará disponível em português, espanhol e inglês para download gratuito para Android e IOS nas app stores e no site www.neuro-pal.org, onde se encontram ainda materiais educativos adicionais.

O Neuropal foi financiado pela Fundação "la Caixa" e pela Autoridade Nacional de Segurança Rodóviaria. O Neuropal foi desenvolvido pelo Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes, a Associação Viver a Ciência, a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Favo Studio e a Universidade de Aveiro, com programação principal desenvolvida por Luísa Freire e Sound Design por Valter Abreu.