Jovens recolhem 16,5 toneladas de lixo em mega-operação de limpeza

27-12-2019

  • Iniciativa promovida pela Fundação Oceano Azul e pelo Oceanário de Lisboa mobilizou mais de 3650 escuteiros e guias
  • 108 km de costa e zonas ribeirinhas, abrangendo 17 distritos, foram percorridos nesta mega ação nacional
  • Beatas de cigarro, garrafas de plástico e cotonetes foi o lixo mais encontrado

Desafiados pela Fundação Oceano Azul e pelo Oceanário de Lisboa, voluntários do Corpo Nacional de Escutas (CNE) e da Associação de Guias de Portugal (AGP) recolheram 16,5 toneladas de lixo marinho, durante o mês de novembro. Esta mega operação contou com mais de 3650 participantes, de 100 agrupamentos e companhias diferentes, em 105 ações por todo o país.

Estas ações de limpeza de lixo marinho decorreram durante o mês de novembro, no âmbito da comemoração do "Mês do Mar", abrangendo 108 km de costa e zonas ribeirinhas de 17 distritos do país, e ainda dos arquipélagos da Madeira e dos Açores. No mapa interativo online, pode consultar-se os resultados de cada uma das ações.

As beatas de cigarro, garrafas de plástico e cotonetes foram os objetos mais encontrados, seguindo-se pneus, cartuxos de caça e cápsulas de café. Destaca-se uma garrafa de plástico e um copo de iogurte com validades de 1997 e de 1998, respetivamente.

Esta ação nacional teve como objetivo a mobilização nacional do CNE e da AGP e serviu para sensibilizar a comunidade escutista para a questão do lixo marinho e para a promoção de um comportamento mais sustentável. "Quisemos apostar na capacitação e mobilização das maiores associações de jovens e crianças do país, cuja influência na sociedade civil será determinante para uma cidadania ambiental mais ativa e participativa", disse Diogo Geraldes, do Departamento de Educação do Oceanário de Lisboa.

"Já não existem dúvidas de que o lixo marinho é uma das principais ameaças à biodiversidade marinha e aos seres humanos e que a conservação do oceano é uma responsabilidade de todos. É um tema urgente. Por isso, continuamos a promover o conhecimento sobre o oceano e a sensibilizar as crianças e os jovens para a atual crise que se atravessa", conclui o responsável.

A Fundação Oceano Azul e o Oceanário de Lisboa promoveram esta mobilização nacional, disponibilizando materiais, como luvas reutilizáveis, balanças e sacos. Durante as ações de limpeza, os educadores marinhos do Oceanário realizaram o programa "Plasticologia Marinha" com o objetivo de sensibilizar os participantes para o tema do lixo marinho e para a importância do seu envolvimento neste projeto.