[Happy Code] Entenda como ajudar o seu filho a fazer amizades

30-09-2019

Hoje em dia, muitas crianças vivem uma situação semelhante à dos seus pais, dedicando muito tempo a actividades isoladas e esquecendo-se das amizades, ou tendo muitas dificuldades na criação destes laços. No entanto, é preciso estamos atentos a isto, pois a interacção social é muito importante, tanto na infância quanto durante toda a vida.

Neste artigo, temos algumas dicas para que possa ajudar o seu filho a conquistar mais amigos e a interagir melhor com as outras crianças. Assim, ele terá um desenvolvimento completo e saudável. Continue a ler e verá que não é assim tão difícil fazê-lo "sair da sua bolha" e viver experiências que serão fundamentais agora e no futuro.

Estimule a interacção

Infelizmente, há casos em que a criança tem dificuldades em fazer amizades em função do modo como está a ser criada. É verdade, também, que cada família tem liberdade para educar os filhos da maneira que julgar melhor, no entanto, é sempre preciso ter em mente que as interacções sociais são uma parte fundamental do desenvolvimento das crianças.

Sendo assim, tenha em consideração se, por acaso, a forma como está a criar o seu filho não o estimula a evitar as outras pessoas. Muitas vezes, o desejo de evitar que algo de mal aconteça leva à superprotecção e isso estimula a criança a ser mais reservada. É preciso encontrar um equilíbrio, para não a prejudicar.

Para mudar esse cenário, é necessário estimular a criança a interagir com os colegas, a brincar e a conversar. Ela precisa de entender que está inserida numa sociedade e que ter contato com outras pessoas é gratificante e divertido, além de lhe permitir novas experiências.

Ofereça oportunidades para o seu filho socializar

Uma das formas de estimular essa interacção e ajudar o seu filho a fazer amizades é oferecer-lhe diversas oportunidades para ter contato com outras crianças. Afinal, a interacção social precisa de ir além do convívio na escola.

Portanto, inscreva o seu filho em cursos extracurriculares, em práticas desportivas e noutras actividades que promovam essa relação. Além disso, leve a criança a festa de aniversário e a lugares diferentes, como centros de diversão e locais onde ele tenha liberdade para se divertir e desfrutar da companhia de outras crianças.

Dê suporte emocional à criança

Outra questão muito importante é oferecer sempre suporte emocional ao seu filho. Afinal, interagir com as 282824 pessoas, ao mesmo tempo que desperta emoções positivas, pode trazer algumas frustrações, e a criança precisa de estar preparada para passar por essas situações sem que estas lhe causem grandes abalos. Assim, poderá desenvolver as suas competências socioemocionais.

Observe o comportamento da criança, converse com ela e tente saber como está a convivência com os amigos e com o grupo de um modo geral. Incentive o seu filho a falar sobre o que está a sentir e a partilhar também as experiências negativas que porventura tenha vivido.

Afinal, as crianças lutam e discutem entre si, mas são pequenos desentendimentos que rapidamente podem ser solucionados. No entanto, o seu filho pode ficar magoado com isso e até mesmo isolar-se. Logo, ele vai precisar do seu apoio e segurança para saber como contornar essas situações e reaproximar-se dos colegas ou, se necessário, fazer novos amigos.

Convide outras crianças para frequentarem a sua casa

Quando se tem uma rotina muito atarefada, pode ser difícil sair constantemente com a criança para que ela interaja com os amigos. Mas essa é uma situação que pode ser contornada, basta convidar a outras crianças para irem a sua casa.

Converse com os pais dos colegas do seu filho, com vizinhos, com os seus próprios amigos e com familiares para promover eventos simples e visitas. O intuito é deixar as crianças à vontade, a fim de que elas se divirtam ou estudem juntas.

Para que o seu filho aceite essa situação com naturalidade, prefira convidar crianças que têm uma personalidade parecida com a do seu filho e gostos semelhantes. Desse modo, ele terá muito mais facilidade de interagir.

Entenda o desejo do seu filho de se encaixar em determinados grupos

Para estimular o seu filho a fazer amizades, também precisará de considerar os desejos dele. Cada pessoa tem a sua personalidade, e isso deve ser respeitado. De outra forma, a interacção social acabará por se tornar um grande martírio e trará mais impactos negativos do que positivos.

Há crianças que gostam de praticar desporto e outras preferem jogos electrónicos. Há ainda aqueles que gostam de actividades ao ar livre. Desta forma, tente analisar com que grupos o seu filho se identifica para direccionar a interacção do modo correto.

Forçar a criança a uma situação com a qual ela não está à vontade não é bom para o seu desenvolvimento. Isso vai estimular ainda mais o isolamento, pois em vez de ter experiências positivas, ela vai passar por experiências desagradáveis.

Mas e se a criança estiver a viver um momento de grande isolamento social e se recusar a frequentar qualquer actividade? Nesse caso,para se iniciar o processo, é preciso conversar muito e dar pequenos passos, para que aos poucos ela mude a sua realidade. Assim, os bloqueios serão evitados e a interacção social vai acontecer naturalmente.

Ensine o seu filho a abordar outras pessoas

A dificuldade para fazer amizades também pode estar relacionada com a falta de competência para abordar outras pessoas. Há que perceber que há quem prefira ficar quieto no seu canto, mesmo estando numa sala cheia de gente, porque não sabe como conversar.

Esse pode ser o caso de algumas crianças, que não conseguem conquistar novas amizades porque simplesmente não percebem a forma de começar uma interacção. Assim sendo, também precisa ensinar ao seu filho como interagir com alguém que ele não conhece ou que ainda não fala com ele.

O diálogo pode iniciar, por exemplo, simplesmente por perguntar o nome, onde estuda, o que gosta de fazer, qual é o super-herói favorito, entre outros assuntos simples. Essa pode parecer uma questão simples, mas faz toda a diferença numa abordagem.

Afinal, talvez o seu filho não consiga fazer um novo amigo se abordar outra criança perguntando directamente se ela quer brincar. Ela pode responder que não, pois não o conhece. Assim, iniciar um pequeno diálogo pode ser a forma mais eficaz de "quebrar o gelo" e ter uma experiência positiva.

Até mesmo os adultos têm dificuldades em fazer amizades, mesmo com toda a sua experiência de vida e maturidade. Por isso, é muito importante dar esse suporte ao seu filho para que ele descubra como desenvolver as suas competências sociais. Desse modo, vai ficar cada vez mais seguro e autoconfiante, levando tudo isso para o resto da sua vida!

Fonte: happycodeschool.com