Este novo museu mostra-nos as várias espécies marinhas em vias de extinção

26/08/2021

O principal objetivo do Museu da Extinção Marinha é alertar para a importância de protegermos o ecossistema marinho. 

Todos sabemos que existem cada vez mais espécies em vias de extinção. Estejam elas na Amazónia, em Portugal, nos glaciares e até nas profundidades dos mares, são várias as espécies que se encontram com números cada vez mais reduzidos, devido às alterações climáticas e ao comportamento humano. Há agora um novo museu que pretende alertar precisamente para isso - e para a necessidade urgente de proteger as áreas marinhas protegidas e evitar que as espécies marinhas apenas possam ser vistas em museus.

O Museu da Extinção Marinha abriu as suas portas - virtualmente - no dia 11 de agosto. O objetivo é simples: mostrar aos visitantes a importância da preservação das áreas marinhas protegidas em Portugal e de toda a biodiversidade que nelas habita.

Criado por Ricardo Bak Gordon, o MEM vai apresentar a riqueza natural das nossas áreas marinhas protegidas através dos seus mais preciosos recursos: as espécies que as habitam.

"A degradação dos oceanos e o declínio da biodiversidade é um problema à escala mundial provocado pelo Homem. Temos de resolver este problema com a máxima urgência, se queremos inverter a tendência de autodestruição", revela Gonçalo Silva, investigador do Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida e responsável pela liderança deste projeto.

Gonçalo Silva diz que é "o Museu que não devia existir", porque não deveria ser preciso. "Em Portugal, precisamos de mais Áreas Marinhas Protegidas, e que protejam realmente, o que implica a implementação de um plano de gestão baseado em dados científicos através da monitorização da biodiversidade ao longo do tempo, e suportado por uma fiscalização eficiente".

Para entrar neste novo museu, só tem de passar por praias pertencentes às áreas marinhas protegidas do País, como Figueirinha, Ofir e Zambujeira do Mar, onde estarão tontens que lhe darão entrada para o museu. Pode também aceder através do código QR do banner do projeto.