Covid-19: o que uma criança deve comer?

26-03-2020

Em tempo de resguardo social, é crucial que as crianças mantenham uma alimentação saudável e equilibrada. A Direcção-Geral de Saúde, no seu site, disponibiliza muita informação para incutir bons hábitos alimentares nas crianças. Deixamos-lhe aqui as regras essenciais para uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes.

A quantidade e tipo de alimentos que devem ser ingeridos numa dieta equilibrada e saudável dependem directamente da idade da criança, do género e da actividade física praticada no quotidiano.

O objectivo é conseguir uma distribuição correcta de valor calórico, através de alimentos que forneçam os nutrientes essenciais, nas quantidades adequadas.

Desta forma, o regime alimentar deve incluir os vários alimentos presentes na nova Roda dos Alimentos, nas proporções correctas e nas melhores condições de conservação. Incutir desde tenra idade bons hábitos alimentares pode ditar a prática de um bom comportamento alimentar na idade adulta.

Por essa razão, os pais e restante família têm um papel muito importante no ensino de uma alimentação equilibrada, até porque as crianças vão aprender os hábitos alimentares através da observação do comportamento dos adultos.

Em termos concretos, a média de necessidades energéticas varia com a idade, sendo que uma criança de três anos precisa de obter 1300 calorias enquanto uma criança de seis anos necessita de 1700 calorias. Estas calorias vão ser o combustível que alimenta algumas funções do organismo, como a manutenção da temperatura, a respiração e a mobilidade, assim como também alimentam a actividade física.

Por sua vez, o consumo adequado de micro e macronutrientes é também importante pela mesma razão. O consumo destes elementos é facilmente conseguido através da prática de uma alimentação variada que obedeça à actual Roda dos Alimentos, tendo em atenção que as porções inferiores são as recomendadas para as crianças de um a três anos, enquanto as porções superiores destinam-se a adultos e adolescentes do sexo masculino.

Por outro lado, é fundamental que as crianças ingiram fibras alimentares, presentes nos frutos e vegetais. Nesse sentido, as duas principais refeições de cada dia devem começar com uma sopa de legumes e terminar com fruta. Também o prato principal deve incluir legumes, leguminosas ou salada, apostando-se na variedade destes ingredientes. Lembre-se de que "os olhos também comem", e estes ingredientes têm a mais-valia da cor.

Uma dieta alimentar saudável dita que as refeições devem acontecer cinco a seis vezes ao dia, em intervalos regulares. As refeições devem ser distribuídas ao longo do dia, para que a criança não fique sem comer por um período superior a três horas. De salientar a importância do pequeno-almoço; esta é uma refeição crucial para as crianças. É recomendável que inclua leite, pão e fruta.

Para cumprir o intervalo regular entre refeições, a meio da manhã forneça à criança uma pequena refeição composta por meia carcaça, três bolachas (sem creme) ou uma peça de fruta. Tanto o almoço como o jantar devem ser iniciados com uma sopa de legumes. Relativamente à proteína, a carne não deve exceder os 60 gramas no prato, o peixe os 80 g, enquanto os ovos podem ser consumidos até um máximo de três por semana.

A sobremesa deve ser uma peça de fruta.

A meio da tarde, as crianças devem fazer um pequeno lanche, onde não devem faltar os derivados de leite e o pão. Cumprindo estas recomendações, está a garantir que as crianças ingerem todos os nutrientes adequados às necessidades do seu crescimento.

Dicas

Leite

Para crianças dos 3 aos 6 anos, a dose diária de leite recomendada é de cerca de meio litro.

Carne

A faixa etária 3-6 anos deve ingerir diariamente até 60 g de carne e até 80 g de peixe.

Arroz ou massa

As crianças em idade pré-escolar devem consumir uma dose diária de arroz ou massa entre os 30 e os 50 g.

Gordura

As crianças devem ingerir 25 g de gordura por dia. A gordura deve ser o azeite ou a manteiga.

Legumes e fruta

Os legumes e fruta devem ser ingeridos em maior quantidade que os restantes alimentos e devem estar presentes em todas as refeições.