Como gerir a quarentena com crianças

16-03-2020

O fim-de-semana já passou e as preocupações de muitos pais já se revelaram certeiras: manter as crianças em casa, em isolamento social, é uma tarefa hercúlea, mas exequível. Tal como a psicóloga Filipa Chasqueira escreve no seu artigo de opinião no jornal Sol, esta é uma oportunidade para partilhar momentos memoráveis com os mais pequenos.

Em primeiro lugar, esta psicóloga aconselha descontracção. É natural que em alguns momentos a sua casa pareça que sofreu a passagem de um furacão, mas as regras têm que se manter: no final de cada actividade, tudo tem de ser arrumado. Isto para os mais novos, os adultos devem manter a calma e ser compreensivos.

A psicóloga aconselha também que a rotina de higiene e do vestir para sair se mantenha. Por outro lado, é preciso ter em atenção que as crianças podem sentir alguma ansiedade por todas as notícias que ouvem; a psicóloga aconselha que poupe as crianças às notícias mais assustadoras, de resto a família pode ir acompanhando a comunicação social.

Filipa Chasqueira sugere também que as crianças estejam envolvidas em pequenas tarefas domésticas, por exemplo ajudem a confeccionar as refeições. Mais: peça aos mais novos que juntem um item do seu agrado à lista do supermercado. Aqui não seja rigoroso, mas antes descontraído e paciente.

Outra ideia que a psicóloga sugere é que as crianças mantenham contacto com a restante família através do telemóvel, computador ou a escrever cartas. De resto, puzzles, lego, concursos de dança e canto, fazer desenhos, sessões de leitura em família ou ver filmes são outras actividades que podem não só distrair a criança como toda a família.

O isolamento social será um desafio para os mais novos por toda a sua energia e imaturidade, mas será igualmente um desafio para os adultos, por isso nada melhor do que encontrar várias soluções que se adeqúem a todos os membros da família.