5 filmes para trabalhar a autoestima das crianças

01-10-2019

Descubra porque o cinema pode ser uma excelente ferramenta para o desenvolvimento das crianças e a melhoria da sua auto-estima.

O cinema é mais que uma arte, pode ser um valioso recurso educacional e de treino. Conhecer os filmes para trabalhar na auto-estima das crianças dá-nos a oportunidade de as crianças também encontrarem algo mais do que entretenimento no mundo do digital.

Um bom filme pode emocionar-nos, deixar-nos tristes, divertir, entediar ... Tudo isso, graças ao facto de que esta arte não deixa de ser um reflexo da própria vida. E é precisamente de onde vem o poder formativo deles.

Portanto, como as crianças são "pequenas esponjas" que absorvem todo o tipo de conhecimento, é interessante fazer uma boa selecção de filmes que as ajudem a conhecer-se melhor, ganhar autoconfiança e desenvolvê-las como indivíduos felizes e assertivos.

Em seguida, apresentamos uma lista de filmes para trabalhar na auto-estima das crianças que muitos terapeutas e educadores usam com os seus filhos. Eles serão úteis para se conhecer melhor, desenvolver com total segurança as suas possibilidades, habilidades, emoções, etc. 

Ratatouille, 2007

Dirigido por Brad Bird, Ratatouille é um filme que mostra a história de um pequeno roedor cujo sonho e talento é ser um grande cozinheiro. Para isso, se associa a um menino: filho de um chef famoso, mas um desastre na cozinha.

Este filme permite que as crianças descubram que não há limites para aprimorar seu talento. Se elas realmente tiverem uma habilidade, um sonho, terão pelo menos a chance de lutar por isso e adaptá-lo às suas condições.

Procurando Nemo, 2003

Andrew Stanton e Lee Unkrich dirigiram um dos filmes mais famosos do século 21 que até teve uma continuação recente com um papel principal da adorável Dory.

Neste filme, encontramos várias lições a serem superadas. Por exemplo, o pequeno Nemo, que tem uma barbatana menor que a outra, ou a busca incansável do pai que se encarrega de encontrá-lo quando ele perde. Ambos mostram que quando você quer algo com muita força, nada pode ficar no caminho. Você apenas tem que trabalhar para atingir o objetivo final com gana, entusiasmo e confiança em suas próprias possibilidades.

Wall-E, 2008

Entre os filmes para trabalhar a autoestima das crianças, não podemos esquecer Wall-E. Esta obra de ficção científica produzida pela Disney e pela Pixar conta a história de um robô de limpeza que não parou de funcionar apesar do fato de que a Terra foi abandonada pela humanidade há muitos séculos.

A partir deste filme podemos extrair várias lições interessantes, como a necessidade de uma gestão adequada dos resíduos. Mas tem uma importância especial para as crianças, a necessidade de sua própria autonomia, o controle da dependência de tecnologia, dispositivos, smartphones, etc.

Comunicação humana face a face, mesmo no filme visto através de robôs, é vital. Assim, podemos aprender a linguagem corporal e o significado dos sons para saber como se comunicar de forma eficiente, segura e sensata.

Divertida Mente de 2015

Conhecido por seu nome original, Inside Out, é um moderno clássico da Disney e da Pixar, no qual as emoções das crianças são exploradas profusamente, especialmente repugnância, medo, raiva, tristeza e alegria.

Grande parte do trabalho que é feito com os pequenos para que eles aprendam a cuidar de sua autoestima tem a ver com suas próprias emoções. Neste caso, não é tanto que você aprenda a gerenciá-las, mas sim concentrar-se em entendê-las, compreendê-las, aceitá-las e conhecer as conseqüências para que progressivamente consigam um gerenciamento inteligente das mesmas.

Como treinar o seu dragão, 2010

Terminamos a nossa jornada pelos filmes para trabalhar na autoestima das crianças com outro excelente filme que conta a história de um jovem que tem uma bela amizade com um dragão.

Para cuidar e desfrutar de sua amizade com o dragão, um ser do qual todo o seu povo tem medo, o menino lutará contra as tradições ancestrais de seu povo, dando prioridade à autoconfiança diante do medo. Para isso, o jovem mostra-se muito assertivo, dando prioridade aos seres vivos sobre os costumes e os terrores infundados.